Tratamento de efluentes


De maneira convencional, o funcionamento de uma Estação de Tratamento de Efluente (ETE) compreende basicamente as seguintes etapas: pré-tratamento (gradeamento e desarenação), tratamento primário (coagulação, floculação e sedimentação), tratamento secundário (processos biológicos de oxidação), tratamento do lodo e tratamento terciário (polimento da água).

PRÉ-TRATAMENTO
Constituído exclusivamente por processos físicos. Nesta etapa, é feita a remoção das partículas em

suspensão através do processo de gradeamento, com a utilização de grelhas e crivos grossos. Logo após, ocorre a separação da água residual através da desarenação, que utiliza canais de areia.

TRATAMENTO PRIMÁRIO
Constituído exclusivamente por processos físico-químicos. Nesta etapa, procede-se a equalização e neutralização da carga do efluente a partir de um tanque de equalização e adição de produtos químicos. Posteriormente, ocorre a separação de partículas líquidas ou sólidas através de processos de coagulação, floculação e sedimentação.

O processo de coagulação e floculação consiste, geralmente, na adição de coagulantes inorgânicos, que promovem a aglutinação das partículas a serem removidas, tornando o peso especifico das mesmas maior que o da água, facilitando a decantação.

A BAUMINAS Química é líder nacional em coagulantes para tratamento de efluentes, possuindo a linha mais completa e avançada do mercado.

Na etapa de sedimentação, os efluentes fluem vagarosamente através dos decantadores, permitindo que os sólidos em suspensão, que apresentam densidade maior do que a do líquido circundante, sedimentem gradualmente no fundo.

TRATAMENTO SECUNDÁRIO
Nesta etapa ocorre a remoção da matéria orgânica por meio de reações bioquímicas. Os processos podem ser aeróbios ou anaeróbios. Os processos aeróbios simulam o processo natural de decomposição, com eficiência no tratamento de partículas finas em suspensão. O oxigênio é obtido por aeração mecânica (agitação) ou por insuflação de ar. Já os anaeróbios consistem na estabilização de resíduos feita pela ação de micro-organismos na ausência de ar ou oxigênio elementar.

TRATAMENTO DE LODO
Como o lodo contém uma quantidade muito grande de água, deve-se realizar a redução do seu volume. O adensamento é o processo para aumentar o teor de sólidos do lodo e, consequentemente, reduzir o seu volume. Desta forma, as unidades subsequentes, tais como a digestão, desidratação e secagem, beneficiam-se desta redução. Dentre os métodos mais comuns, temos o adensamento por gravidade e por flotação.

A estabilização de substâncias instáveis e da matéria orgânica presente no lodo fresco também pode ser realizada através da adição de produtos químicos. Esse processo é denominado estabilização química do lodo.

TRATAMENTO TERCIÁRIO
Pode ser empregado com a finalidade de se conseguir remoções adicionais de poluentes em águas residuárias, antes de sua descarga no corpo receptor e/ ou para recirculação em sistema fechado. Essa operação é também chamada de “polimento”.

Em função das necessidades de cada indústria, os processos de tratamento terciário são muito diversificados. Filtração, cloração para a remoção de bactérias, absorção química para a remoção de cor, redução de espuma e de sólidos inorgânicos são alguns dos processos presentes nesta etapa.

A BAUMINAS Química apresenta uma ampla variedade produtos que podem ser utilizados nesta etapa do tratamento.